Veja os erros mais comuns no fluxo de caixa que sua empresa deve evitar

  • Por Redator
  • 09 out, 2017
Administrar as finanças de uma empresa nem sempre parece tarefa fácil. São vários os fatores que exigem atenção constante e qualquer erro pode acabar gerando dores de cabeça indesejadas. Um dos processos que costuma apresentar problemas devido a um planejamento ineficiente é o fluxo de caixa. Entretanto, se pensarmos que os erros são comuns, mesmo […] O post Veja os erros mais comuns no fluxo de caixa que sua empresa deve evitar apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Administrar as finanças de uma empresa nem sempre parece tarefa fácil. São vários os fatores que exigem atenção constante e qualquer erro pode acabar gerando dores de cabeça indesejadas. Um dos processos que costuma apresentar problemas devido a um planejamento ineficiente é o fluxo de caixa.
Entretanto, se pensarmos que os erros são comuns, mesmo sendo fáceis de evitar, é preciso tomar providências para que eles não ocorram dentro da empresa. Pensando nisso, mostraremos aqui quais são os mais comuns e como você pode evitá-los, prevenindo problemas maiores. Confira!

1. Não atualizar com boa periodicidade

O fator tempo é fundamental para o bom funcionamento do fluxo de caixa. Deixar para atualizá-lo depois de uma semana ou mais pode resultar em erros na contabilidade que são difíceis de identificar. E este é um dos casos mais comuns em microempresas.
Gerenciar um empreendimento , independente de seu tamanho, exige  planejamento  para os investimentos e um acompanhamento dos gastos. Este processo é importantíssimo para que o gestor saiba se a entrada de dinheiro está dentro do planejado e se será necessário iniciar uma ação estratégica.
Por mais que o tempo seja curto e precioso, não investir na atualização periódica do fluxo de caixa dificulta o trabalho do gestor, que passa a ter menos controle do que deveria sobre o negócio.
Existem  sistemas  extremamente simples e eficientes que podem ajudá-lo nessa tarefa e trazer rápidos resultados para você e sua empresa.
 

2. Permitir inconsistência nas informações

A falta de atualizações constantes do fluxo de caixa é um dos fatores que impactam diretamente na inconsistência de informações. E o pior: não é um fator único. A falta de detalhamento dos dados lançadas, por exemplo, é algo que acaba gerando uma bola de neve de problemas para o controle financeiro.
Valores arredondados no lançamento de vendas, itens não cadastrados e falta de exatidão em valores pagos são alguns dos erros que parecem pequenos mas, somados, geram grande inconsistência de informações. O valor planejado para pagamentos, por exemplo, é um, mas o gasto real não condiz com esse número.
Ao tentar localizar o problema, fica impossível rastrear o destino do dinheiro, já que o valor lançado não é exatamente aquele do produto. Por isso, é fundamental estar atento e seguir à risca as informações de cada item, assim como treinar os funcionários para fazer o mesmo!

3. Gerar lançamentos não categorizados

Criar categorias para cada tipo de despesa e receita é algo simples mas que não pode ser ignorado. O motivo é simples: facilitar a identificação dos gastos para separá-los entre despesas e desperdícios. De forma geral, trata-se de tornar o fluxo de caixa compreensível para quem é responsável pelas tomadas de decisão.
Ao definir categorias como despesas com colaboradores, gastos administrativos, fornecedores e contas (telefone, água, internet etc), você é capaz de identificar e comparar os gastos mensais de cada item. Isso permite uma análise mais realista da situação do negócio, além de mostrar se há um possível desperdício ou uso indevido de recursos da empresa.
Cada uma das categorias de gastos possui suas características específicas e merece atenção individual. O mesmo serve para o dinheiro que entra. Afinal, é preciso ter uma compreensão melhor do seu faturamento do que simplesmente um valor em números.
Categorizar os lançamentos é detalhar de que forma sua empresa investe seu dinheiro e de que forma ele gera lucro.

4. Contar com dinheiro que ainda não entrou

Este é um erro grave e, por mais que eventualmente a empresa passe por uma situação financeira difícil, é fundamental evitá-lo. Quando a falta de controle sobre o fluxo de caixa afeta o trabalho de quem gerencia o negócio, um efeito colateral comum é que o planejamento da empresa passe a contar com um dinheiro que ainda não entrou em caixa.
O resultado é uma situação cada vez mais apertada, no qual as contas não fecham e a empresa pode simplesmente ruir por falta de recursos. Por isso, acompanhe de perto o fechamento de contas e o detalhamento do fluxo de caixa. Certifique-se de que o dinheiro com o qual a empresa conta é fruto de operações já realizadas e está livre para investimento ou pagamento de despesas.
Vale aqui uma ressalva importante. Não deixe que as contas da empresa se misturem às suas contas pessoais. Muitas vezes o pagamento de despesas particulares acaba entrando no cálculo de faturamento do negócio, mas isso jamais deve ser feito.
Essa prática é a principal causa de descontrole do fluxo de caixa de microempresas, pois faz com que o gestor perca a perspectiva do que faz parte das despesas comuns da empresa, além de uma série de outros fatores.

5. Superestimar a previsão de faturamento

Quando falamos sobre manter a devida separação entre as contas pessoais e as da empresa, um dos resultados típicos desta prática é a previsão errônea do faturamento. Calcular aquilo que se espera para o mês faz parte do processo de gestão de qualquer empresa. Entretanto, fatores externos não podem influenciar neste cálculo, pois uma falha grave pode ocorrer em função disso.
Geralmente, a previsão de faturamento é superestimada e o resultado final é menos dinheiro em caixa do que o necessário para o pagamento de todas as despesas – incluindo salários. Por isso, é preciso realizar um estudo detalhado do fluxo de caixa nos últimos meses e manter um comparativo com o mesmo período dos anos anteriores.
Seja qual for sua área de atuação, todo o mercado apresenta variações em sua movimentação durante certas épocas do ano. Para se ter uma boa ideia de como isso funciona, é só imaginar o volume de vendas de uma loja de chocolate durante a Páscoa ou de material escolar no início do ano letivo.
A expectativa de faturamento é um critério importante para definir a estratégia de atuação da empresa. Mesmo que a previsão não seja tão boa quanto você esperava, é preciso manter os pés no chão e trabalhar com as informações que você tem.
Nessa hora, é preciso ser realista para tomar as decisões certas e  fazer sua empresa crescer !

Blog da CAC - Consultoria & Adm Contábil

Por Vinicius Roveda 13 out, 2017
O assunto precificação de serviços tira o seu sono? Não chega a ser surpresa. Afinal, definir o valor do seu trabalho nem sempre é uma tarefa fácil. Você quer ser justo com o cliente, mas não minar o seu lucro. Tem solução? Nós queremos mostrar que sim.
Por Redator 11 out, 2017
O ano de 2018 será marcado por mudanças significativas nos âmbitos fiscal e tributário. Isso porque, além da entrada em vigor do eSocial, e-Financeira e do Bloco K do Sped, teremos ainda a impactante alteração na sistemática de cálculo do Simples Nacional. O novo Simples, infelizmente, traz alguns fatores complicadores. O valor do imposto a […] O post Versão 2018 do Simples Nacional: será que vale a pena? apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Carin Tom 11 out, 2017
Falta pouco para o eSocial empresas se tornar uma realidade no Brasil. Com a sua efetivação marcada para 1° de janeiro, a nova forma de repasse de informações trabalhistas e fiscais ainda suscita dúvidas entre donos de negócios.
Por Maria Bortolozi 10 out, 2017
Em 05 de outubro de 2017, o CONFAZ publicou no Diário Oficial novos Códigos Fiscais e alterações de notas explicativas do Anexo que trata do CFOP do Convênio s/nº, de 15 de dezembro de 1970. A sigla CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) é um código numérico que identifica a natureza de circulação de […] O post CONFAZ realiza alterações na relação de CFOP à partir de 2018 apareceu primeiro em Blog do Arquivei.
Por Redator 10 out, 2017
Os empresários passam por um momento da economia que a ordem da vez é “economizar”. É o período que diminuir custos se torna algo obrigatório para se ter fôlego financeiro e, assim, poder avançar nos negócios. E uma das coisas que se tem buscado é a redução de gastos com impostos. Mas que perigos isso […] O post Cuidado com a sonegação fiscal apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redação 10 out, 2017
Realizada com mais de 900 empresas, pesquisa da Arquivei também aponta que 63% das empresas tem dificuldade em reconhecer “notas frias” Visando mostrar a importância da gestão inteligente de documentos e notas fiscais, a Arquivei, plataforma para armazenamento, organização e consulta desses dados, fez uma pesquisa com mais de 900 empresas, de diversos tamanhos e segmentos, para entender […] O post Pesquisa: quase 80% das empresas não recebem todos os documentos fiscais enviados contra seu CNPJ apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
A Reforma Trabalhista traz mais de 100 modificações à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que entrarão em vigor em 11 de novembro. Algumas dessas alterações afetam a demissão do trabalhador. E para discutir essas mudanças e seus impactos, sindicalistas de Mato Grosso do Sul ligados aos trabalhadores do comércio e serviços, participaram em Brasília do […] O post Reforma trabalhista traz mais de 100 modificações à CLT apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
O eSocial, portal para registro de empregados e de eventos como férias e horas extras, vai incorporar, a partir de novembro, as mudanças na legislação trabalhista aprovadas pelo governo neste ano, informou ao G1 o assessor especial da Receita Federal, Altemir Linhares de Melo. A partir do mês que vem, será possível realizar pelo eSocial […] O post Regras da reforma trabalhista vão ser incorporadas ao eSocial apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
Entende-se por redirecionamento da execução fiscal a inclusão do administrador da pessoa jurídica no polo passivo da ação, passando ele a responder solidariamente pelos débitos tributários imputados pela Fazenda ao devedor contribuinte. Faz-se possível nos casos em que ficar demonstrada a prática de ato eivado de excesso de poderes ou infração à lei, contrato social ou estatuto, […] O post Prescrição intercorrente e redirecionamento da Execução Fiscal apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
Muitas vezes definir um Orçamento de Marketing Digital é um grande desafio para empresas que, apesar de almejarem crescimento, ainda não investem em soluções e não sabem qual seria o investimento adequado. A realidade é que muitos CEOs ainda não enxergam a importância da área e encaram o marketing como uma despesa. No entanto, o Marketing Digital tem apresentado outra perspectiva, […] O post Como definir um Orçamento de Marketing Digital para sua empresa apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Mais Posts
Share by: