Saiba como lidar quando o seu funcionário pede demissão

  • Por Redação
  • 05 out, 2017
Uma notícia que sempre pega de surpresa empregadores e empregados é a demissão de funcionários. Isso porque, o corte pode vir por decisões da diretoria, mas também acontece quando um colaborador decide se desligar da empresa. Nesse momento, muitos gestores são surpreendidos, principalmente se o trabalhador se destaca em sua função. Para evitar desgastes desnecessários […] O post Saiba como lidar quando o seu funcionário pede demissão apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Uma notícia que sempre pega de surpresa empregadores e empregados é a demissão de funcionários. Isso porque, o corte pode vir por decisões da diretoria, mas também acontece quando um colaborador decide se desligar da empresa.
Nesse momento, muitos gestores são surpreendidos, principalmente se o trabalhador se destaca em sua função. Para evitar desgastes desnecessários é preciso agir com muita serenidade, respeitando os direitos trabalhistas e também a escolha pessoal do profissional.
Ou seja, o setor administrativo da sua empresa precisa saber lidar com a situação, mesmo que a pessoa seja muito querida e talentosa. Afinal, esse momento envolve uma briga de interesses.
De um lado está o funcionário, querendo receber indenizações e outros benefícios. De outro, a empresa, que busca economizar ao máximo com o pagamento do que é exigido pela legislação ou por pedidos pessoais do trabalhador.
E você, sabe o que fazer nessa hora? É o que demonstraremos neste post. Venha conosco e aja corretamente para que ambas as partes saiam satisfeitas do processo de demissão!
 

Entenda como agir com a demissão de funcionários

A legislação trabalhista garante o direito do trabalhador de pedir demissão no momento em que achar necessário.
Isso pode acontecer em razão de insatisfações com a política interna, falta de recursos técnicos, equipamentos, clima negativo ou por conta da oferta de uma oportunidade melhor em outra empresa ou de problemas familiares, entre outros motivos.
Trata-se de um  acerto de contas  delicado, em que acontecem perdas e ganhos. A dica é manter sempre a calma e planejar as finanças para honrar com todos os compromissos legais.
Ouça os motivos apresentados pelo colaborador e faça de tudo para manter o clima harmônico na conversa final.
Veja se o caixa da empresa está com saldo adequado para o acerto de contas e apresente uma proposta ao funcionário, demonstrando quanto tempo será necessário para que tudo seja pago, e estabelecendo os direitos e deveres de ambas as partes.

Veja o que deve ser pago quando o funcionário pede demissão

Quando a  demissão de funcionários  parte do pedido de um trabalhador, a empresa pode exigir o cumprimento do aviso prévio de 30 dias ou optar ainda pelo desligamento imediato, descontando o mês de trabalho na rescisão do contrato.
O empregado vai receber o saldo do salário referente ao dia em que sair, ou seja, se trabalhou até o dia 22 do mês corrente, serão 22 dias referentes ao valor diário baseado no salário mensal.
Além disso, o colaborador tem direito ao valor proporcional do 13º salário, com base na quantidade de meses trabalhados ao longo do ano.
O pagamento das férias proporcionais também deve ser cumprido pela empresa, de acordo com a legislação trabalhista, mesmo em caso de pedidos feitos antes do término do período de experiência.
Quem pede demissão não tem direito a multa de 40% baseada no valor acumulado do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e nem ao seguro desemprego — que pode chegar a cinco meses segundo o tempo de contribuição  ao INSS , que deve ser superior a um ano.

Conheça dicas para evitar desgastes com colaboradores

Sabendo que pedidos de demissão inesperados por parte de funcionários geralmente causam desgastes no ambiente interno das empresas, vale a pena adotar algumas medidas que colaboram para manter a harmonia no clima organizacional.
A primeira dica é ouvir os pontos de vista do trabalhador para entender o pedido de demissão. Nesse momento, veja se existe a possibilidade dele continuar por um período preestabelecido para que tudo seja acertado corretamente no setor financeiro, já que gastos não esperados podem comprometer a folha de pagamento e  o controle das finanças.
Preze pela sinceridade. Conte como está a situação da empresa e diga o que poderá ser feito naquele momento. Quanto mais clara fora a comunicação, menores os desgastes. Além disso, caso a sua corporação esteja com dificuldades financeiras, coloque na mesa algum tipo de negociação com o colaborador.
Afinal, a maleabilidade faz parte do processo e pode ajudar muito a solucionar pendências ou desgastes que poderiam afetar negativamente a relação com o funcionário, principalmente em futuras batalhas judiciais, como veremos a seguir.

Descubra o que acontece se a empresa descumprir a lei

No calor da emoção, muitos empregadores podem deixar a racionalidade de lado e partir para o  enfrentamento ao colaborador  que pede demissão de maneira inesperada.
Nessa hora, quem se excede pode pagar um alto preço. Se as verbas rescisórias não forem pagas dentro dos prazos, como 10 dias após a formalização do pedido de demissão, a empresa fica configurada como inadimplente perante a Justiça.
Com isso, o   artigo 477 da CLT  assegura ao colaborador a possibilidade de fazer o pedido de indenização por meio de um processo trabalhista, o que acarretará multas bem superiores ao que deveria ser honrado pela corporação.
Ao entrar com uma ação trabalhista, certamente, o funcionário descreverá inúmeras outras situações que poderão configurar como desrespeito à legislação, como ausência do pagamento de horas extras, assédio moral, falta de EPIs (equipamentos de proteção individual), falta do pagamento do adicional por insalubridade etc. Enfim, os gastos e impactos nas finanças da empresa podem ser estratosféricos.
Para evitar todos esses desgastes, a melhor orientação é sempre valorizar o diálogo, cumprindo o que a  Lei Trabalhista  exige para satisfação de ambas as partes. Afinal, a demissão de funcionários é direito tanto do empregador quanto do empregado, ou seja, o inesperado se faz presente para todos.

Mantenha sempre a política da boa vizinhança

Como o mercado de trabalho é cíclico, muita gente que sai de uma empresa pode retornar ao antigo local de trabalho em poucos anos, trazendo mais conhecimento e experiências.
Por isso, o pedido de demissão de funcionários hoje pode ser o retorno deles amanhã desde que seja mantido um clima amigável e profissional. Afinal, os seres humanos são livres e é muito difícil reter por muito tempo talentos de áreas diversas, já que as pessoas possuem projetos pessoais e almejam novos horizontes.
Portanto, a dica é agradecer pelo período em que determinado colaborador esteve em sua empresa e deixar a porta aberta caso ele seja realmente bom no que faz. Dessa maneira, a vida segue tranquila, ou seja, o processo fica bem menos pesado.
E você, já passou por uma situação de demissão de funcionários? Tudo correu bem? Compartilhe agora mesmo este post em suas redes sociais e mostre para amigos e familiares como proceder nesse momento!

Blog da CAC - Consultoria & Adm Contábil

Por Vinicius Roveda 13 out, 2017
O assunto precificação de serviços tira o seu sono? Não chega a ser surpresa. Afinal, definir o valor do seu trabalho nem sempre é uma tarefa fácil. Você quer ser justo com o cliente, mas não minar o seu lucro. Tem solução? Nós queremos mostrar que sim.
Por Redator 11 out, 2017
O ano de 2018 será marcado por mudanças significativas nos âmbitos fiscal e tributário. Isso porque, além da entrada em vigor do eSocial, e-Financeira e do Bloco K do Sped, teremos ainda a impactante alteração na sistemática de cálculo do Simples Nacional. O novo Simples, infelizmente, traz alguns fatores complicadores. O valor do imposto a […] O post Versão 2018 do Simples Nacional: será que vale a pena? apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Carin Tom 11 out, 2017
Falta pouco para o eSocial empresas se tornar uma realidade no Brasil. Com a sua efetivação marcada para 1° de janeiro, a nova forma de repasse de informações trabalhistas e fiscais ainda suscita dúvidas entre donos de negócios.
Por Maria Bortolozi 10 out, 2017
Em 05 de outubro de 2017, o CONFAZ publicou no Diário Oficial novos Códigos Fiscais e alterações de notas explicativas do Anexo que trata do CFOP do Convênio s/nº, de 15 de dezembro de 1970. A sigla CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) é um código numérico que identifica a natureza de circulação de […] O post CONFAZ realiza alterações na relação de CFOP à partir de 2018 apareceu primeiro em Blog do Arquivei.
Por Redator 10 out, 2017
Os empresários passam por um momento da economia que a ordem da vez é “economizar”. É o período que diminuir custos se torna algo obrigatório para se ter fôlego financeiro e, assim, poder avançar nos negócios. E uma das coisas que se tem buscado é a redução de gastos com impostos. Mas que perigos isso […] O post Cuidado com a sonegação fiscal apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redação 10 out, 2017
Realizada com mais de 900 empresas, pesquisa da Arquivei também aponta que 63% das empresas tem dificuldade em reconhecer “notas frias” Visando mostrar a importância da gestão inteligente de documentos e notas fiscais, a Arquivei, plataforma para armazenamento, organização e consulta desses dados, fez uma pesquisa com mais de 900 empresas, de diversos tamanhos e segmentos, para entender […] O post Pesquisa: quase 80% das empresas não recebem todos os documentos fiscais enviados contra seu CNPJ apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
A Reforma Trabalhista traz mais de 100 modificações à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que entrarão em vigor em 11 de novembro. Algumas dessas alterações afetam a demissão do trabalhador. E para discutir essas mudanças e seus impactos, sindicalistas de Mato Grosso do Sul ligados aos trabalhadores do comércio e serviços, participaram em Brasília do […] O post Reforma trabalhista traz mais de 100 modificações à CLT apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
O eSocial, portal para registro de empregados e de eventos como férias e horas extras, vai incorporar, a partir de novembro, as mudanças na legislação trabalhista aprovadas pelo governo neste ano, informou ao G1 o assessor especial da Receita Federal, Altemir Linhares de Melo. A partir do mês que vem, será possível realizar pelo eSocial […] O post Regras da reforma trabalhista vão ser incorporadas ao eSocial apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
Entende-se por redirecionamento da execução fiscal a inclusão do administrador da pessoa jurídica no polo passivo da ação, passando ele a responder solidariamente pelos débitos tributários imputados pela Fazenda ao devedor contribuinte. Faz-se possível nos casos em que ficar demonstrada a prática de ato eivado de excesso de poderes ou infração à lei, contrato social ou estatuto, […] O post Prescrição intercorrente e redirecionamento da Execução Fiscal apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Por Redator 10 out, 2017
Muitas vezes definir um Orçamento de Marketing Digital é um grande desafio para empresas que, apesar de almejarem crescimento, ainda não investem em soluções e não sabem qual seria o investimento adequado. A realidade é que muitos CEOs ainda não enxergam a importância da área e encaram o marketing como uma despesa. No entanto, o Marketing Digital tem apresentado outra perspectiva, […] O post Como definir um Orçamento de Marketing Digital para sua empresa apareceu primeiro em Jornal Contábil.
Mais Posts
Share by: